segunda-feira, 18 de maio de 2009

A questão dos trabalhos "menores"

Há tempos uma pessoa, desempregada, comentou comigo que não ia para caixa de supermercado porque as amigas tinham todas bons empregos e o que é que elas iriam pensar...
Bons empregos, na perspectiva dela, é ser secretária, administrativa, qualquer coisa do género.
Apenas comentei que o dinheiro realmente não devia fazer-lhe muita falta, quando o que tinha na realidade era uma enorme vontade interior de espancar a criatura. Após isto perguntou-me se eu gostaria de ser caixa de supermercado. Resposta: "Já fui, já fiz limpezas. Sou menos pessoa por isso?"
Porque é que raio certos e determinados trabalhos são considerados como menos válidos? Não precisamos todos uns dos outros? 
O mais "giro" no meio disto tudo é que cá no nosso país, somos esquisitos, e torcemos o nariz a tanta coisa... Quando vamos lá para fora, fazemos de tudo... Está bem que a questão monetária é importante (se não decisiva), mas porque nos recusamos a fazer trabalhos considerados "menores" - como limpezas, empregado de mesa, etc. - e lá fora aceitamos? Será que deixam de ser tão "menores" porque são mais bem pagos? 
Porque é que cá não aceitamos fazer isso? Temos medo da crítica da sociedade por fazer coisas como servir à mesa e limpar casa de banho com medo das críticas da sociedade? E lá fora aceitamos porque não nos conhecem de lado nenhum? As pessoas esquecem-se de que realmente todos os trabalhos são necessários numa sociedade! Vejam lá o caos que causa numa cidade não haver recolha do lixo. Temos de começar a pensar naquelas pessoas que não pensamos normalmente. E que tanto fazem para o nosso bem estar.

4 comentários:

Miepeee disse...

O mal do portugues e que vive das aperencias mesmo que para isso passe fome.
Nos outros paises e mais simples porque ninguem os conhece e podem ser meter umas tretas e dizer que estao a trabalhar numa grande empresa quando na realidade estao a limpar escadas.
Concordo plenamente contigo quando dizes que nao ha trabalhos menores, sao todos precisos.
Eu acho e que a tua amiga no gosta de trabalhar, o que tambem e o mal de muita gente e nao so portuguesa.
Beijinho.

Sopa de Letras disse...

Pois marie , não lhe devia fazer falta o dinheirinho.
Infelizmente esta mentalidade tacanha tem sido uma forte ajuda ao desemprego, afinal acredito que haja mto trabalho por aí , não há é empregos que é uma coisa mto diferente.
Conheço pessoas que tiraram o curso ao mesmo tempo que eu ou ate mesmo comigo que trabalham em call centers e nem por isso sao menos que eu, aliás bem vistas as coisas mostram ser grandes seres humanos porque afinal trabalhar não é vergonha , vergonha é roubar, espancar , mnatar e outros verbos que tais .

beijinho

Intruso disse...

porque somos um país de aparências.

bom barulho com as palavras...:)

Bé Dias disse...

nem mais! já disseram tudo... fico-me só pelo beijinho! ;)